Fundo de Previdência Social dos Servidores de Crato


Crato, Estado do Ceará


Conheça Crato
O Crato é uma das cidades com maior riqueza cultural do Ceará
Segundo alguns historiadores, a primeira penetração no território do Cariai aconteceu no último quarto do século XVII, chefiada pelos irmãos Lobato Lira. Os exploradores, subindo o curso do rio Salgado, que banha o fértil vale do Cariai se instalaram nas imediações da cachoeira dos Cariris, hoje conhecida por cachoeira de Missão Velha, o primeiro aldeamento dos índios.

Mais tarde, às margens do rio Itaitera, instalou-se o maior e mais importante núcleo dos silvícolas na região. O aldeamento fundado por frei Carlos Maria de Ferrara denominou-se Missão do Miranda. A Missão era administrada pelos frades da Ordem dos Capuchinhos. Graças à fertilidade do solo e ao crescente desenvolvimento do cultivo da cana-de-açúcar, mandioca e cereais, além da abundância de água, o antigo aldeamento transformou-se em um próspero povoado.

Crato foi palco dos principais acontecimentos históricos do Ceará, por ser a única localidade cearense que aderiu ao movimento libertador de Pernambuco em 1817. O diácono José Martiniano de Alencar e seu irmão Tristão Gonçalves de Alencar Araripe, frei Francisco de Santana, Pessoa e Inácio Tavares Gondim, prestigiados por Bárbara de Alencar, rica fazendeira e mãe dos dois primeiros, sublevaram a população do Crato e proclamaram aí a República que teve a duração de apenas 8 dias, restaurando-se o governo monárquico no dia 11 do mesmo mês.

Nasceu em Crato, José Martiniano de Alencar que foi Presidente da Câmara dos Deputados, Senhor nomeado pela Regência e Governador do Estado do Ceará por duas vezes. Entre os seus dez filhos figura o romancista José de Alencar.

Crato é uma das cidades com maior riqueza cultural do Ceará. Hoje, os visitantes presenciam manifestações artísticas preservadas desde os tempos dos índios Kariris. Pastoris, violeiros, bandas cabaçais, grupos de pífanos, além de mestres populares em cordel e xilogravuras. O município tem se destacado na região por sediar importantes eventos de negócios e de entretenimento, como a Expocrato, maior feira de agropecuária do Nordeste.

A riqueza cultural se reflete também nos museus. O Museu de Fósseis reúne alguns itens encontrados na Chapada do Araripe. A cidade oferece também, o Museu Histórico e de Arte, a Universidade Popular da Arte, o Seminário Diocesano São José e o Sítio Histórico do Caldeirão, que conta a saga do Beato José Lourenço e a história da Comunidade do Caldeirão. Também vale uma visita a Igreja de São Francisco, com uma majestosa torre contendo seis relógios em funcionamento. Um passeio obrigatório é a visita à Floresta Nacional do Araripe, um dos últimos espaços preservados da Mata Atlântica.


Fonte: IBGE
Foto Divulgação